[PR] 求む!タイピング初心者

[PR] 無料でタイピング練習☆

VIDEOS

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

AS DIFERENTES TÉCNICAS PARA CABELOS


O (novo) beabá da coloração
Termos técnicos revisitados, novas mechas ultramodernas, estilos contemporâneos. Acompanhe a evolução da arte de colorir os cabelos com este vocabulário atualizado
Confira alguns termos revisitados, mechas fashion e aplicações diferentes no mundo da coloração.

AMIGA... MUITA ATENÇÃO!!! FIQUE SEMPRE ANTENADA... ESTA POSTAGEM É MUITO IMPORTANTE PARA VC QUE ESTÁ PENSANDO EM MUDAR OS CABELOS PARA ARRASAR NESTE FINAL DE ANO...É MUITO IMPORTANTE SABER, AINDA QUE SEJA UM POUCO SOBRE PROCESSOS QUE SERÃO FEITOS EM NOSSOS CABELOS, ATÉ MESMO PARA  NÃO SERMOS LESADAS... SE JOGA!!!

 Angel: Segundo o hairstylist Christiano Campos, de São Paulo, essa técnica cria um efeito luminoso no cabelo, tipo anjo barroco. “A aplicação é feita em círculos, com mechas de 2 a 6 cm, de modo que o fundo fique um tom mais escuro que o comprimento e as pontas”, ensina.

À mão livre: Reflexos feitos com a ajuda das mãos. “O profissional usa a criatividade para aplicar o descolorante ou a coloração em lugares estratégicos”, revela o cabeleireiro Márcio Mello, do salão Éclat, no Rio de Janeiro. É preciso trabalhar porções de cabelo na horizontal, sempre a partir de 3 cm longe da raiz.

Amônia em porcentagem menor: Segundo o professor Celso Martins, da Universidade Anhembi Morumbi, a evolução dos corantes e intermediários de pigmentos das novas colorações levou à redução da porcentagem de hidróxido de amônio, dilatador da estrutura externa dos fios. “Isso permite sua aplicação em cabeleiras alisadas e relaxadas em baixos níveis de oxidação (10 ou 20 vol). ”

Degradê: Esse termo designa uma maneira diferenciada de fazer californianas com maior comprimento de clareamento no sentido da raiz às pontas. “Também trabalha diferenças mais agudas de tonalidades, em variações de reflexos quentes e frios”, explica o professor Celso Martins. A técnica valoriza as mulheres com pouca linha de ombro e as com rosto do tipo côncavo. Além disso, esse estilo sempre passa uma sensação de modernidade e despojamento.

Dust It: Novo estilo de mechas da academia Toni&Guy, de Londres. Segundo Rubem Navarro, do salão Club Capelli, no Rio de Janeiro, o objetivo é criar um look natural, com efeito sutil de transparência. “Aplica-se uma coloração um tom abaixo da cor natural no comprimento e nas pontas com papel-alumínio, como se fosse fazer highlights”, conta. Uma sugestão é usar um tom castanho dourado (5.3) em cabelo loiro escuro.

Equalizador de porosidade: Cosméticos criados com características especiais para melhorar a textura e conferir brilho e maciez aos fios. “Normalmente, esse tipo de produto oferece agrupamento de silicones, alta concentração de aminoácidos, proteínas, óleo hidratante e nível de acidez acentuado – pH 3 e 3,50”, explica o professor Celso Martins. Pode ser usado como uma finalização diferenciada do processo de coloração.

Esfumado: Técnica para não deixar as luzes marcadas como antigamente, muito usada no ombré hair. Pode ser feita tanto em mechas desfiadas com pente antes da aplicação do produto quanto com pincel em ângulo de 45 graus.

Free Hands Lights: Novo recurso para criar highlights esfumadas. “Dividimos o cabelo na diagonal, separamos lâminas finas sem costurar e aplicamos descolorante com rolo de pintura de tela”, explica o cabeleireiro Christiano Campos, de São Paulo.

Holograma: Mechas trabalhadas com três ou até quatro cores diferentes para equilibrar a imagem da cliente. “Diversas profundidades e camadas criam uma textura personalizada e moderna”, diz o docente Celso Martins.

Luzes Montadas: Segundo o hairstylist Sidney Akira, do salão GO Hair, em São Paulo, nessa técnica as mechas são bem-marcadas (mais claras) por dentro dos fios, dando um efeito de sobreposição de cores. “Pode ser feita em todo o cabelo ou apenas no meio e no topo da cabeça.”

Mechas Saint-Tropez: Esse procedimento tem como objetivo criar um efeito degradê de cores saindo da raiz e clareando meio e pontas. “Sempre do tom escuro para o mais claro”, revela Sidney.

Mordaçagem: Técnica usada em cobertura de cabelos brancos, principalmente aqueles de textura grossa, comuns nas raças orientais e mongólicas. O método consiste na aplicação prévia de um creme oxidante de 20 volumes nos fios grisalhos ou espessos. “O objetivo é aumentar o depósito de moléculas de oxigênio na fibra, ampliando o potencial oxidativo da reação química e a revelação da cor desejada”, explica o docente Celso Martins. Segundo ele, isso não tem nada a ver com dilatação das cutículas (estrutura externa dos fios), já que esse creme oxidante não faz isso por ser ácido (pH de 2,5 a 3,5).

New Ombré Hair: Segundo o hairstylist Sidney Akira, do salão GO Hair Beauty Center, em São Paulo, as mechas sutis, sem marcação, agora ganham também luzes finas feitas mais próximas da raiz para dar um efeito de luminosidade na região.

Pré-pigmentação: Recurso usado para cobrir brancos localizados, combater as transparências indesejadas e o desbotamento precoce da cor. O objetivo é aumentar a concentração de tons primários nas regiões com ausência de melanina. O profissional deve usar uma mistura de cor pura (base), uma tonalidade mais clara diluída em água potável, para saturar os fios grisalhos. Logo em seguida, aplica-se a nuance definitiva, normalmente com creme oxidante de 20 volumes.

Reflexos 3-D: Segundo o hairstylist Alex Safra, do Espaço Be, em São Paulo, essa técnica empresta mais profundidade e luminosidade às mechas claras, que se difundem em dimensões assimétricas, sem ficarem marcadas. Consiste em misturar de dois a três tons claros e escuros em posicionamento diagonal, o que dá a sensação de flutuarem. É preciso dividir o cabelo em mosaico, distribuindo as cores sucessivamente até deixar a nuance clara por cima. O objetivo é dar leveza, movimento, sofisticação e naturalidade ao look, além de retoque espaçado.

Repigmentação: Procedimento baseado no fundo de clareamento para colorir cabelos extremamente porosos, totalmente brancos e/ou muito claros com eficiência. Exemplo: para transformar uma cabeleira loira em vermelha será preciso repigmentar primeiro a fibra capilar com uma cor acobreada (já que o fundo é dourado-amarelo) misturada a 10 volumes por 25 minutos. Só após o enxágue a coloração vermelha 20 volumes entra em ação.

Saporificação: Esse fenômeno acontece quando a oleosidade presente na fibra capilar entra em contato com a química da tintura. “Isso compromete a revelação da cor, ou seja, pode não haver cobertura total do fio”, explica Celso Martins. Para evitar, basta lavar o cabelo quando este estiver muito oleoso antes de aplicar a coloração.

Sem amônia: Segundo Celso Martins, essas colorações são feitas à base de monoetanolamina, um dilatador de cutícula mais suave do que a amônia. Por ser menos volátil e, assim, liberar a química com menor intensidade, as sem amônia são menos suscetíveis a causarem sensibilização no couro cabeludo e na pele.

Sombreamento: Procedimento muito usado para rejuvenescer a face. “Em vez de clarear toda a parte frontal, trabalha-se as mechas em maior contato com o rosto”, explica Celso. Para criar esse efeito, os profissionais aplicam colorações entre dois a três tons em reflexos frios de nuances intermediárias.

AMIGA...ESPERO QUE TENHA GOSTADO DA POSTAGEM...A MAIS NOVA TENDÊNCIA HOJE É Free Hands. AGORA AMIGA, ESCOLHA O SEU ESTILO, É PARA CAUSAR EM QUALQUER LUGAR ONDE FOR...VEJA AS IMAGENS  DE ALGUNS CABELOS ABAIXO... SE JOGA!!!